Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Espaço sentido

Segunda-feira, 07.11.11

Onde está a ideia?

O cérebro ocupou-se de projectos no sonho da vida.

A inspiração vem aos poucos cristalizada pelo sentir,

Fragmentado do cheiro da memória.

Inconstante e talvez inconsequente, mas mesmo assim
profundo.

Eu, na lógica do ser

pessoa que erra demasiado, fragilizada por tantos
sentires

Porque este produto que é a minha imagem

É só um invólucro, cujo brilho é atenuado pela ausência
de mim, em mim , na esfera da tua longa partida.

por não saberes o quanto dói, nunca irás e talvez nunca saibas,

apesar de utilizares o corpo em beneficio do sexo, e apenas isso!

Porque o amor não tem letras, com a boca fechada, no
sorriso falso de animal ferido.

Esta sou eu, apresento-me limpa de alma despida de
preconceitos.

O esboço delineado, amor que continua no brilho dos teus
olhos.

Na continuação de que as lágrimas estão dentro dos olhos

E não quero nunca mais engasgar-me com elas.

Neste espaço que ainda é meu.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maria às 23:22

Introspecção II

Sexta-feira, 21.08.09

O pensamento beija cada momento em que penso em ti

Em cada letra as lágrimas são de rendição

Em cada palavra não proferida, uma tempestade

de uma emoção que a custo contenho

Nesta proibição que me impus e não consigo aplicar.

 

Danço ao som do vento e o mar lá em baixo

Geme a sua longa dor, nas cores vibrantes

De mais um fim de tarde

Um anjo brinca comigo, gato e rato,

esconde-esconde, nas saias da mãe

Crianças a fazer construções na areia,

Delírio de sonhos de adultos a imaginar

Que a vida se move apenas aqui.

Figuras contempladas por olhos frios

de pássaros que gritam a sua liberdade.

E o altifalante rouco que me atropela

os ouvidos no meio do extenso areal.

A capela fica ali no meio do Oceano,

tão perto… que a toco com os olhos da mente.

Suavemente o mar agita o seu terno abraço,

nesta oração diária.

Escarpada esta inusitada e abstracta imagem

que me percorre o corpo, numa sensação

de arrepio delirante de saudade.!

 

Beijo cada momento em que penso em ti

Em cada frase escrevo um apelo que não lês.

Fico a mitigar a mágoa para ultrapassar este dia tão nosso.

E…imagino teu rosto desenhado nas nuvens distantes.

 

 Autora: Airam Vieira

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quem me dera...

Terça-feira, 21.07.09

 

Quem me dera não ser uma pessoa

Ser apenas a pedra a rolar no tempo

A raiz agarrada à terra, o vento…

Quem me dera…

Não ter olhos de lágrimas a surgir

Estar morta e mesmo assim, saber sorrir

Ser a ruela e estar à tua porta

Quem me dera…

Ser apenas a chuva a cair

Desenho em branco a surgir

Nas linhas ondulantes da aurora

Quem me dera amor…

Que a saudade não doesse

Que o um raio se abrisse na escuridão

Ao flutuar me entregaria nos teus braços

Quem me dera amor… neste momento contigo estar.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Férias

Quarta-feira, 30.07.08

 

 

Estou de férias...

algum descanso, será que sim?

algum desprendimento

alguma sorna...

banhos no mar, muitos...

e  mil desculpas aos meus amigos/as

por andar tão ausente

estive doente...

mas agora estou bem e a descansar

já tenho saudades de vos comentar,

pois ler, ainda o vou fazendo muitas vezes.

Beijinhos para todos com aquele sorriso :) no coração.

 

Maria

Autoria e outros dados (tags, etc)

Lágrima em pensamento

Sexta-feira, 04.04.08

Photobucket

A casa mexe no interior do silêncio

São risos parados de tempo que cheira a abismo.

Brincadeiras que não se ouvem, de tão gastas

Prazer sôfrego da noite voando pelo universo.

Paro a olhar o vento, que agita os meus dias

Numa tortura imensa.

O pensamento golpeia através de outros

Mais lentos de deleite que me cheira,

E o cheiro vem, leve aromatizado

As estrelas riem baixinho

Aves nocturnas gritam pela sua presa

Um som agudo acorda a atmosfera

Que desliza para dentro de mim

Agora sim, a chávena que me espera

Mais um pouco a voltear

A casa mexe atrevida neste canto

Sorrio… , penso em ti, absorvo

Um novo chocolate quente.

Me enche a alma de suave nostalgia.

E assim fico abraçada ás imagens do pensamento.

E uma lágrima retida desce pelo meu rosto.

Autora: Airam Vieira ( Maria)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ausência do teu sorriso

Quinta-feira, 06.03.08

Saberás tu o sentido que dás

Aos meus dias infindáveis

De coração ausente?

Ler em entrelinhas de prazer

Que colo na minha pele

Mapa de fronteiras inolvidáveis

De segmentos de ti…

És a minha natureza

Loucura de braços acesa

Na perdição de augurada

Magia com que me revisto

Em arco-íris de amor …

E fico tão prontamente dorida

Que me colo em fotografias

De paisagem adormecia

Para acordar nos teus braços

De eterna chuva colorida.

Neste pensar adormeço

Pousada no fascinante mistério

Com que brindas os meus dias

Em tradição antiga…

Delineio mais uma vez

O símbolo da Primavera

Na ausência do teu sorriso.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Breve Suspirar

Quinta-feira, 28.02.08

Longe… no dia da tormenta que silencia

O meu dia de palavras ausentes

Vivo assim no prantear das noites

Nos becos arrumados do meu dia.

 

Brinco e choro com as mãos

Acesas de arco-íris que dão

Colorido a letras arrebatadas

Neste sentir que é meu chão.

 

Chão de verde raiado pelas notas

De tuas irisadas fantasias, tão minhas

Que embrulho em padrões iluminados

Em mais uma saga de nós…

 

Flores que se atropelam aos molhos

Em loucas fantasias de amar teus olhos

Que são doces, como o eternizar da morte

Em cristas de auroras boreais que são norte,

 

 momentos breves de Primavera solta

Onde nasce a certeza de um auspicioso dia…

Longe vai a tempestade que ausculta

O amor que em carícias nos presenteia.

 

Nas saudades que abraço em torno do silêncio.

com que afagas o meu dia... neste suspirar...

 

Autora: Airam Vieira

Autoria e outros dados (tags, etc)

Lembrança no meu silêncio

Terça-feira, 19.02.08

Não me apetece falar com ninguém

Mantenho este silêncio morto,

Meu pensamento absorto

De imagens que o mundo tem.

 

Que quero eu afinal?

Vejo o silêncio assim…

Fim de dia aceso

Na gruta que é meu medo.

 

Fechar os olhos não ver

Frases que teus olhos gritam

Saudades de enlouquecer

Palavras por dizer…

 

Hoje o silêncio vence a hora

Que afinal acabou

Por vencer minha madrugada

Na saudade que chora.

 

Nesta cama feita de vazio

Lembro o luar a meus pés

Espuma de luz, talvez

E a maresia sei lá, vira rodopio.

 

Teu cheiro no meu, posto

de adormecer na lembrança de teu rosto…

Autora: Airam Vieira

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Amor...

Quinta-feira, 14.02.08

Amor...

Nos teus olhos meu sorriso
Na manhã as flores
com que brindas, o dia
mesmo que o pensamento
corra por esse jardim
afastado, as estrelas
me ofereces em ramos
de inigualável querer,
só tu amor...
Suspenso está o laço
com que unidos
vencemos a união que 
tanto tenta separar
este nosso amor,

que livre vive

Para além de fronteiras

Linhas e demais horizontes,

Na visão periférica

De tantas contradições...

Mas só tu meu amor

Fazes os meus olhos sorrir.

 

Autora: Airam Vieira

Autoria e outros dados (tags, etc)

Noite azul

Sexta-feira, 11.01.08


Caminho pelo pensamento, a boca é ilusão

  Teu corpo, meu corpo unidos

  Na senda de um iminente vulcão.

  Azul noite são os sentidos

  Mais que a própria razão…

  Vivo em ti, como se não bastasse

  Transportas o meu mar

  Sendo eu pura ilusão…fechado,

  Em cadeado vive teu coração.

  Meu canto é o acordar

  Desta mágica fantasia

  dentro de mim mais magia

  neste meu mundo que é teu.

  Enleio-me na tua sombra

  Na amargura deste dia

  Prisioneira de um grito

  Com que visto a minha alma.

  Caminho pelo pensamento, como se

  amor para sempre quisesse

  ser o mistico poder... e comigo correr

  na quietude serena desta borboleta azul

  minha noite colorida.

Autora: Airam Vieira

Autoria e outros dados (tags, etc)





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Novembro 2011

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930